Vacinação contra a COVID-19 no Rio conta com rede ampliada, incluindo sistema Drive Thru

No município do Rio de Janeiro, a expectativa é que de 2,3 milhões de pessoas dos grupos de risco prioritários sejam vacinadas contra a COVID-19 já na primeira leva. O plano deve ser lançado entre 20 e 25 de janeiro, de acordo com a Coordenadora Local de Imunização, Nadja Greffe.


Dividido em quatro fases iniciais, o plano prevê, prioritariamente, a vacinação de indivíduos incluídos nos principais grupos de risco. São eles: profissionais da saúde; idosos a partir de 75 anos; idosos em instituições de longa permanência (asilos ou abrigos); pessoas de 60 a 74 anos; pessoas com comorbidades (crônicas ou adquiridas); e, por fim, professores e agentes de serviços essenciais.


Nadja afirma que “a rede municipal está pronta e abastecida, aguardando as orientações do Ministério da Saúde para iniciar a vacinação”.



Ampliação da rede


Para a aplicação dos imunizantes, Nadja explica que será necessário ampliar a rede de vacinação na cidade, incluindo clínicas da família, centros municipais de saúde, postos extramuros (em igrejas e escolas) e implantação do sistema drive-thru.


“Está em fase de finalização a preparação dos recursos humanos, aos insumos necessários e dos equipamentos de saúde que servirão como ponto de apoio”, afirma a coordenadora.


Para ser colocado em prática, no entanto, o plano depende da aprovação das vacinas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Espera-se que as doses comecem a ser distribuídas pelo Ministério da Saúde até cinco dias após aval do órgão regulador.

Em nota enviada à Health Connections, o Ministério da Saúde esclarece que “as vacinas serão enviadas aos estados, os quais serão encarregados de distribuir aos municípios, de forma igualitária e proporcional, sem nenhuma distinção”.

7 visualizações0 comentário