Telessaúde no Brasil: a experiência de quem utiliza



Na continuação de nossa série sobre telemedicina, vamos saber mais sobre as experiências brasileiras, bem como a opinião de profissionais que atuam no ramo. O neurologista Jefferson Fernandes, professor da Fundação Getulio Vargas-RJ, IBCMED-SP e FIAP, e a cirurgiã-dentista Ana Estela Haddad, professora associada da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (USP) e Diretora de Relações Institucionais da Associação Brasileira de Telemedicina e Telessaúde, conversaram com o Portal Health Connections sobre o papel da telemedicina na atenção primária à saúde e no sistema de saúde pública brasileira.


Em Porto Alegre, conhecemos o TelessaúdeRS-UFRGS, núcleo de pesquisa criado em 2007, vinculado ao programa de pós -graduação em epidemiologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Na Unidade Básica de Saúde Santa Cecília, Marcelo Rodrigues Gonçalves, médico e vice-coordenador do TelessaúdeRS, contou sobre a história e a estrutura do projeto, que conta com três frentes de atuação: teleducação, telediagnóstico e teleconsultoria. Já médico de família e comunidade João Collin, presidente da Associação Gáucha de Medicina de Família e Comunidade (AGMFC), falou sobre sua trajetória como profissional de saúde e usuário do Programa e como isso influencia seu trabalho na prática.


Dois pacientes do TelessaúdeRS também dividiram suas experiências como usuários do programa. Márcia Binatti, metalúrgica, moradora de Viamão, Rio Grande do Sul (RS) e portadora de espondilite anquilosante, dividiu sua experiência com o Regula SUS, teletriagem que faz parte do núcleo de Teleconsultoria do TelessaúdeRS, e como isso auxiliou em seu tratamento. Alexandre Micelli, solador e morador de Porto Alegre (RS), falou sobre o Teleoftalmo, programa de telediagnóstico do TelessaúdeRS, e deu detalhes de como foi a consulta e o tipo de tecnologia utilizada.


Assista ao vídeo com a reportagem completa e saiba mais.



98 visualizações