CONINI 2018 reúne Associação Brasileira de Neurointensivismo e Neurocritical Care Society


O segundo Congresso Internacional de Neurointensivismo (CONINI), realizado entre os dias 09 e 12 de maio de 2018, foi marcado pelo alto nível das apresentações dos trabalhos científicos e pela grande participação do público jovem. No total, foram sete cursos pré-congresso, duas salas simultâneas de palestras e um público de 400 participantes, que puderam aprender e compartilhar suas experiências com pacientes neurocríticos.


A ocasião marcou, também, o segundo Encontro Regional da Neurocritical Care Society. Um dos organizadores do evento, o neurointensivista Pedro Kurtz, ex-presidente da Associação Brasileira de Neurointensivismo e representante da América do Sul no Conselho da Neurocritical Care Society, comemorou o êxito da iniciativa: “Acredito que conseguimos satisfazer o objetivo de promover um evento internacional e organizado de forma conjunta entre duas entidades ativas e com membros engajados. Foram 70 palestrantes, dentre eles 37 internacionais’.


De acordo com o Diretor do Programa de Acidentes Vasculares Cerebrais da Rede de Saúde e Chefe da Divisão de Acidente Vascular Cerebral (AVC) e Neurointensivismo da Universidade de Vermont (EUA), Guillermo Linares, “o CONINI foi um ótimo encontro. Estou muito feliz de estar aqui compartilhando meu conhecimento e aprendendo, com o intuito principal de melhorar o tratamento oferecido a pacientes que sofrem um AVC. Foram debatidas diferentes ideias e abordagens para o tratamento do AVC e isso é ótimo. Muitos estudos brasileiros apresentados são, realmente, inovadores e, com certeza, nós vamos acrescentá-los na prática médica dos Estados Unidos'.

O neurologista Daniel Paes Santos, membro da Academia Brasileira de Neurologia, afirmou ser “muito significativo conseguir reunir tantas pessoas que se dedicam ao neurointensivismo no cotidiano”. O médico, em sua palestra, falou sobre as atualizações no guideline do Acidente Vascular Cerebral Isquêmico (AVCI).


O vice-presidente da Neurocritical Care Society, Jose Suarez, que também é professor dos Departamentos de Anestesiologia e Medicina Intensivista, Neurologia e Neurocirurgia na Faculdade de Medicina da Universidade Johns Hopkins, em Maryland (EUA), palestrou sobre o estudo HIMALAIA, que teve o objetivo de investigar o efeito da hipertensão induzida em desfechos de pacientes com hemorragia subaracnóidea que tenham desenvolvido isquemia cerebral tardia. O neurointensivista aproveitou para falar um pouco sobre a Neurocritical Care Society (NCS): “Somos uma entidade multidisciplinar, aberta a todos os profissionais de saúde que se interessem por neurointensivismo. Todos podem ingressar como membros em nossa sociedade. Pode ser médico, enfermeiro, farmacêutico, fisioterapeuta, falar qualquer idioma e ser de qualquer país, estamos abertos. É muito importante trabalhar em uma rede multidisciplinar e responder às questões para melhorar os resultados dos tratamentos com os pacientes com doenças neurológicas que correm risco de vida”.


O médico intensivista Fábio Guimarães de Miranda, coordenador do Centro de Terapia Intensiva do Hospital Copa Star, no Rio de Janeiro, e membro da comissão organizadora do evento, também foi só elogios ao CONINI. Miranda mediou uma mesa cujo tema central foi o manejo avançado de pacientes neurocríticos. “Achei o nível das palestras elevadíssimo, os participantes trouxeram muitas questões importantes sobre cuidados aos pacientes neurocríticos em UTI. Fiquei muito feliz de ter sido mediador”.


O chefe de Divisão de Neurologia em Regime de Internamento na Spectrum Health, em Michigan (EUA), Tamer Abdelhak, afirmou ter sido animador ver tantos jovens interessados em neurointensivismo no Brasil e garantiu que o evento foi uma ótima oportunidade para aprender com outras pesquisas. Também destacou a organização do evento e a recepção do público brasileiro.


O neurointensivista Walter Videtta, que trabalha no Hospital Posada, em Buenos Aires (Argentina), classificou o nível do evento como “excelente” e disse que foi importante para entender os avanços em neurointensivismo e poder compartilhar com colegas que trabalham na área. Ao fim do encontro, o médico fez um convite a todos os participantes para o III Encontro Regional da Neurocritical Care Society, a ser realizado na capital portenha, em novembro de 2019.







116 visualizações