Brasil ganha primeiro Código de Ética do estudante de Medicina com aplicação nacional

Brasil ganha primeiro Código de Ética do estudante de Medicina com aplicação nacional



O Conselho Federal de Medicina (CFM) lançou, em agosto de 2018, o Código de Ética do Estudante de Medicina (CEEM), que traz os princípios para definir as relações dentro e fora das salas de aula. A publicação buscar nortear a boa prática dos estudantes e também prevenir más práticas médicas após a formatura, por meio de 45 artigos organizados em seis eixos: relação do estudante com as instituições de ensino e de saúde; relação do estudante com o cadáver; relações interpessoais do estudante; responsabilidade do estudante com os seus estudos e/ou formação; relação do estudante com a sociedade; e relação do estudante com a equipe multiprofissional.


O documento foi elaborado por conselheiros do CFM em conjunto com entidades representativas dos estudantes de Medicina do Brasil, em um processo que levou dois anos para ser concluído. De acordo com o conselheiro Leonardo Sérvio Luz, membro da Comissão de Integração do Médico Jovem do CFM, o código de ética nasceu a partir da necessidade de criar algo que norteasse as faculdades para a unificação de boas condutas dos estudantes de Medicina. “Os estudantes universitários, que são os futuros médicos do país, faziam parte de uma lacuna em que os Conselhos Regionais e Federal de Medicina não conseguiam atuar”, afirma.


O novo código representa uma ponte entre o estudante e o médico. “É um código moderno, que envolve assuntos como trote, mídia social, prevenção ao assédio moral e às relações abusivas nas escolas etc. É uma forma de intervir durante a formação, orientando as faculdades a aplicarem as punições”, explica o conselheiro.


As faculdades já receberam o documento, que também se encontra disponível para download em: http://www.flip3d.com.br/web/pub/cfm/index9/?numero=23&edicao=4442.

0 visualização