77% dos brasileiros se automedicam; farmacêutico alerta sobre os riscos





"A diferença entre o medicamento e o veneno é a dose", alerta farmacêutico.


Uma pesquisa realizada pelo Conselho Federal de Farmácia (CFF), por meio do Instituto Datafolha, constatou que a automedicação é um hábito comum a 77% dos brasileiros que fizeram uso de medicamentos nos últimos seis meses. Quase metade (47%) se automedica pelo menos uma vez por mês, e um quarto (25%) o faz todo dia ou pelo menos uma vez por semana.


Um medicamento tomado sem orientação profissional pode causar sérios problemas no organismo de quem ingere, como: reação alérgica, intoxicação, resistência ao medicamento, atrapalhar o diagnóstico correto ou provocar problemas a partir de uma possível interação medicamentosa.


TOXIDADE


O químico e farmacêutico Marcus Athila, presidente da AFAERJ (Associação dos Farmacêuticos do Estado do Rio de Janeiro) e ex-presidente do CRF-RJ (Conselho Regional de Farmácia do Rio de Janeiro), conversou com o Portal Health Connections e falou sobre os perigos da automedicação. “É preciso tomar cuidado, pois diversas pesquisas já mostraram que o medicamento é responsável pela maior parte das internações por intoxicação”, informa o profissional.


Athila, que tem pós graduação em farmacologia e farmácia clínica, com ênfase em prescrição farmacêutica, também comentou que todo remédio, ao ser fabricado, possui uma dose efetiva média (DE50), quando uma determinada dose do fármaco é capaz de produzir efeito terapêutico em 50% dos animais experimentais, e uma dose letal média (DL50), que seria a quantidade necessária para causar a morte de 50% da população num determinado período. “A diferença entre o medicamento e o veneno é a dose”, complementa o farmacêutico.


ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL


Marcus Athila afirma que é função do farmacêutico evitar a auto medicação e orientar o paciente sobre uso correto do medicamento, assim como seus efeitos. E acrescenta que, o primeiro passo a se fazer, em caso de algum sintoma, é procurar um médico, que é quem poderá fazer o diagnóstico e prescrever o tratamento adequado.


Faça sua parte, cuide da sua saúde!

10 visualizações0 comentário